Mariópolis, PR °min °max

Um acidente e três vítimas

Maio Amarelo

O Movimento Maio Amarelo nasce com uma só proposta: chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortos e feridos no trânsito em todo o mundo. O objetivo do movimento é uma ação coordenada entre o Poder Público e a Sociedade Civil. A intenção é colocar em pauta o tema segurança viária e mobilizar toda a sociedade com ações que dizem a respeito do trânsito.

O movimento tem como símbolo um laço amarelo que enfatiza a necessidade de tratar os acidentes como uma epidemia, como ocorre em outras ações a exemplo do Outubro Rosa, Novembro Azul e as campanhas de HIV.

Segundo o Observatório Nacional de Segurança Viária, 90% dos acidentes nas ruas acontecem por falha humana. São aqueles deslizes que às vezes se comete achando que nada de mais vai acontecer, como atender o celular dirigindo, exceder um “pouquinho” o limite de velocidade, ir até a esquina de casa sem o cinto de segurança.

É uma realidade que se vê no dia a dia, mas pode mudar. Como? A partir das nossas escolhas! A campanha do Maio Amarelo deste ano traz justamente este tema: “Minha Escolha Faz a Diferença”. A ideia é mobilizar a população a refletir sobre o impacto das escolhas de cada um no trânsito.

Ações no município de Mariópolis

A Prefeitura de Mariópolis apoia e investe em iniciativas que contribuem para a redução de acidentes nas ruas e, com isso, levam à diminuição de vítimas no trânsito. As ações da Campanha Maio Amarelo serão conduzidas através do Departamento de Saúde, iniciando pela exposição de um carro que foi cedido pela Polícia Rodoviária de um acidente ocorrido na região do sudoeste do Paraná.

O carro tem como objetivo causar um impacto na população e alertar sobre um dos “deslizes” que mais acontece no trânsito: a alta velocidade. Esse carro pertence a um acidente que ocorreu no ano de 2016 na Rodovia PR 493 em uma colisão traseira que foi causada por alta velocidade. Esse acidente teve três vítimas fatais, sendo a mãe de 39 anos, o filho de 21 anos e a nora de 24 anos. O PRINCIPAL MOTIVO DA MORTE dos passageiros que estavam no banco traseiro foi o NÃO USO DO CINTO DE SEGURANÇA.

Segundo dados apresentados, apenas 10% das pessoas possuem o hábito de usar o cinto quando estão sentados no banco de trás. Sete entre cada 10 pessoas que sofreram acidentes, viajavam no banco traseiro sem cinto e sofreram alguma lesão grave.
Além do risco de graves ferimentos, a pessoa que não utiliza o cinto no banco traseiro pode até matar quem está sentado no banco da frente, mesmo que esta esteja usando cinto, pois o impacto na hora da batida é igual a uma tonelada em uma colisão a 60 km/h. Na hora da colisão, o peso corpóreo aumenta de seis a oito vezes. A diferença entre utilizar ou não o cinto de segurança pode ser a diferença entre viver e morrer. (fonte: Detran/PR)

Ainda durante o mês de Maio mais ações, remetentes ao Maio Amarelo, serão realizadas no município.

A conscientização no Trânsito começa por você!